DLC gratuito do Daemon X Machina adiciona Ciri e Geralt do The Witcher 3

Daemon X Machina

Marvelous Entertainment e Nintendo conseguiram fechar um acordo com a CD Projekt Red para fazer uso de Geralt e Ciri da altamente popular série de RPGs de ação, The Witcher. A dupla foi anunciada como parte de uma colaboração gratuita do DLC em comemoração ao The Witcher 3: Caça Selvagem - Edição Completa fazendo seu caminho para o Nintendo Switch. Ler Mais “DLC gratuito Daemon X Machina Adiciona Ciri And Geralt From The Witcher 3”

O 3 Witcher no switch da Nintendo é 540p em Handheld, 720p no modo de TV

O interruptor de Witcher 3 Nintendo

A edição completa do The Witcher 3: caça selvagem está programado para ser lançado no Nintendo Switch para Nintendonites e Switchians em 2019. O altamente celebrado RPG de ação de 2015 apresentará todos os pacotes de expansão DLC lançados anteriormente em um pacote que você poderá jogar em qualquer lugar ou de o conforto do seu sofá no modo TV. Ler Mais “The Witcher 3 no Nintendo Switch é 540p no dispositivo portátil, 720p no modo TV”

Os truques atualizados do Witcher 3 lhe dão mortes instantâneas, ouro infinito, sem toxicidade

The Witcher 3 Cheats

Um dos treinadores atualizados para CD Projekt Red's The Witcher 3 vem repleto de muitos recursos interessantes, incluindo a habilidade de forçar os inimigos a se cansarem, ou a habilidade de nunca morrer, ou de deixar seu cavalo praticamente destemido. Enquanto The Witcher 3 está disponível para PC, PS4 e Xbox One, apenas os jogadores de PC podem tirar proveito dos treinadores de trapaça. Ler Mais “The Witcher 3 Atualizado Cheats Give You Instant Kills, Infinite Gold, No Toxicity”

CD Projekt Red Acredita que o Cyberpunk 2077 custará e fará mais do que o Witcher 3

Durante o calor do fiasco da caixa de saque e da microtransação veio uma informação esquecida em relação ao CD Projekt Red's cyberpunk 2077. O jogo é classificado como um título triplo A Cyberpunk 2077, É dito pelo CEO Adam Kiciński que não só custará mais do que The Witcher 3 fazer, mas ganhará ainda mais dinheiro em troca. Ler Mais “CD Projekt Red Believes Cyberpunk 2077 Will Cost And Make More Than The Witcher 3”

A atualização 3: Wild Hunt Xbox One X do Witcher adiciona o modo de desempenho 60fps

The Witcher 3

O CD Projekt Red anunciou que dois novos modos foram adicionados à versão do Xbox One X The Witcher 3: caça selvagem. Muito parecido com a atualização do PS4 Pro de um tempo atrás, o CD Projekt Red agora habilitou opções gráficas avançadas para a versão Xbox One X do jogo, então se você gosta de ajustar e solucionar problemas de suas opções gráficas como na versão para PC dos jogos - mas sem a opção de jogar a 8K e 120fps - então você aproveitará as novas configurações gráficas avançadas para The Witcher 3. Ler Mais “The Witcher 3: Wild Hunt Xbox One X Update Adiciona 60fps Performance Mode”

CD Projekt Red afirma que o Cyberpunk 2077 não terá práticas gananciosas

CD Projekt Red ouviu as reclamações e preocupações dos jogadores sobre cyberpunk 2077 apresentando uma forma de microtransactions e garantiu aos fãs que o jogo estará na linha de The Witcher 3 - single-player, mundo aberto, RPG baseado em história - sem capturas ocultas. Os jogadores receberão o que pagam, onde o CDPR deixará a ganância para outros. Ler Mais “CD Projekt Red afirma Cyberpunk 2077 Will Not Have Greedy Practices”

Witcher 3 entra no Pit Mod do Diabo traz novos locais, NPCs e itens

Um novo mod para The Witcher 3 atingiu NexusMods chamado Enter The Devil's Pit. O mod em questão vem da SkacikPL e traz uma carga de novos conteúdos para The Witcher 3 jogos. CD Projekt Red's Witcher 3 já está disponível para PC, Xbox PS4 e One. Ler Mais “Witcher 3 Enter The Devil's Pit Mod traz novos locais, NPCs e itens”

The Witcher 3 acumulou $ 250 milhões para CD Projekt; Série vende 25 milhões de cópias

As vendas Witcher 3

Em três plataformas, três jogos e toneladas de DLC, versão de CD Projekt Red de The Witcher série que remonta a 2007 conseguiu vender um coletivo 25 milhões de cópias. Ler Mais “The Witcher 3 acumulou US $ 250 milhões pela CD Projekt; Série vende 25 milhões de cópias ”

Meus Top 6 (ish) Jogos de 2016

Como de costume, a maioria dos jornalistas de jogos normalmente escreve algum tipo de lista de seus principais jogos favoritos. O que tenho aqui é uma lista de jogos que acompanhei ou gostei muito. Sinta-se à vontade para concordar ou discordar quanto ao conteúdo de seu coração na seção de comentários.

Digite o Gungeon

Uma jóia brilhante de um título indie de Dodge rolo de jogos, que conseguiu ganhar meu coração mais cedo no ano. Você o jogador assume o papel de um em cada quatro possíveis aventureiros, e lutar contra o seu caminho através de cinco níveis da Gungeon masmorra. Um enorme labirinto gerado aleatoriamente preenchido com capangas e monstros bala-like que estão todos prontos para levá-lo para baixo. Seu desempenho para limpar os quartos em um andar dá-lhe uma recompensa de dinheiro e outras guloseimas possíveis. Encontrar melhores armas e itens (ou comprá-los das lojas que aparecem), é fundamental para o seu sucesso. Cada última polegada do jogo é preenchido com um Sábado sentido dos desenhos animados da manhã do caráter  isso define o tom certo para tudo o que está envolvido. O objetivo do jogo é forjar uma bala para o passado, onde o jogador tem a chance de viajar no tempo para um momento crucial na vida de um personagem em particular, para consertar os erros e arrependimentos de seu passado. Gungeon intensificou o incrível ainda mais enchendo o jogo até a borda com segredos desbloqueáveis ​​e truques que você pode encontrar e realizar. Vê uma rachadura na parede? Explodi esse otário para encontrar algum tesouro escondido escondido. Encontrar um baú de saque defeituoso? Não é por acaso. Os desenvolvedores colocaram isso intencionalmente, para Gungeoneers que buscam um nível de desafio sem precedentes culminando com um confronto direto contra dois chefes ao mesmo tempo.

Digite o Gungeon provou como indies ainda pode embalar um perfurador.

Pokemon Go / Pokemon Sol e da Lua

Este ano foi uma celebração do 20º aniversário do Pokémon. Nintendo, Niantic e a Pokémon Company deram nova vida e interesse à sua clássica franquia Pokémon, dando-nos dois tipos diferentes de experiências de jogo que trouxeram novas reviravoltas para a série.

Quando Pokemon Go lançado em julho para dispositivos iOS e Android, houve uma enorme onda de entusiasmo pelo potencial do conceito. Os jogadores finalmente tiveram a chance de viajar pelo mundo real e capturar Pokémon por meio de um tipo de configuração de realidade aumentada. Ele atingiu o topo das paradas da App Store por causa do fato de ser o sonho de todo amante de Pokémon se tornando realidade. A equipe de desenvolvimento da Niantic não esperava isso, e seus servidores enfrentaram um nível consistente de sobrecarga e interrupções nos primeiros meses. Além disso, Pokemon Go acidentes relacionados começaram a aparecer, Levando Niantic para adicionar avisos e outras mudanças para o jogo para reduzir as chances de lesões no futuro. Ao todo, juntamente com a resposta lenta para fixar o recurso de rastreamento Pokemon, virou um monte de que playerbase inicial off. Mas Pokemon Go voltou para um segundo fôlego para o final deste ano, quando eles acrescentaram atualizações relacionadas de férias para o jogo por um tempo limitado, bem como trazendo em alguns segunda pokemon geração.

Esse segundo vento no Pokemon Go Foi apenas a tempo para Pokemon Sol e da Luaestreia de. Durante a maior parte deste ano, as notícias e a cobertura da revelação para a nova aventura na região tropical de Alola dominaram os feeds de notícias da Nintendo. Este local de jogo acabou com a abordagem e fórmula clássicas que as seis gerações anteriores seguiram. Em vez disso, o jogador assume o desafio da ilha, onde eles devem viajar para os covis dos Kahunas e Totem Pokémon e passar em todos os testes que lhes forem atribuídos. Ao longo do caminho, eles encontram novos Pokémon exclusivos da área - além de rostos familiares da região de Kanto que se adaptaram ao clima mais quente de Alola. Os bandidos vieram na forma óbvia de Team Skull, um grupo de bandidos escandalosos que não eram exatamente as lâmpadas mais brilhantes da caixa. Mas acabou que eles estavam sob o controle da Fundação Aether, cujos motivos não eram tão claros. Juntos, eles criaram uma história original e fascinante que se destacará por anos.

Além disso, eu tenho um Ledian brilhante.

Pokemon Go/Pokemon Sol e da Lua provaram que ainda não ficaram sem ideias.

Dishonored 2

Bethesda teve que levantar a barra que eles estabeleceram para si próprios em primeiro lugar com o original Desonrado. Como poderia a equipe assumir a premissa e encontrar alguma maneira de melhorar sobre isso? O resultado foi Dishonored 2 - um jogo onde Emily Kaldwin e Corvo são expulsos de Dunwall após um golpe da bruxa malvada Delilah acaba com seu controle usurpador. Viajando para as costas de Karnaca, a missão do jogador na sequência era caçar os conspiradores que tramaram com ela. O original Desonrado não era um título longo, mas os próprios níveis estavam repletos de opções e oportunidades para o jogador explorar como bem entendesse. O segundo jogo elevou as coisas ao oferecer novos poderes (no caso de Emily Kaldwin), a capacidade de gastar dinheiro em lojas do Mercado Negro no meio da missão e um sistema de combate mais complexo e elaborado que era melhor para dizer ao jogador o que está acontecendo. O que fez Dishonored 2 ir além para impressionar foi a criatividade em dois dos níveis: a Mansão Mecânica manteve os jogadores em alerta, pois eles tiveram que ser mais espertos que Kirin Jindosh, que estava construindo um exército de robôs, e Stiltons Manor fez o jogador chegar ao fundo do outro mundo magia corrupta que agarrou a área saltando para frente e para trás entre o passado (a noite em que Stilton caiu na loucura) e o presente. No geral, a sequência não perdeu o espírito de maravilha e fantasia steampunk que o original apresentou às pessoas.

Dishonored 2 provou Bethesda pode fazer greve relâmpago duas vezes.

Final Fantasy XV / The Last Guardian

Estes dois jogos conseguiram finalmente chegar em 2016, depois que ambos foram submetidos a um processo de dez anos quase de desenvolvimento em seus respectivos estúdios. Os produtos finais em si pode ter algumas falhas, como resultado disso, mas os casos raros e incomuns de como esses títulos finalmente chegou a lançar foram suficientes de um espetáculo para captar a atenção. As pessoas são na sua maioria apenas felizes os jogos saiu em tudo.

The Last Guardian começou em 2007, com o Team Ico quente nos saltos de sucesso com Shadow of the Colossus. Originalmente programado como um título PS3, a data de lançamento foi adiada cada vez mais. Os anos se passaram e finalmente o jogo foi lançado para PS4 no início de dezembro. Semelhante àquele e ao de 2001 Ico, The Last Guardian é um jogo de terceira pessoa que usa palavras mínimas em sua história, mas um foco mais pesado na interação física entre os personagens para um impacto mais emocional. Controlando um menino, o jogador torna-se amigo de uma grande fera chamada Trico - e os dois passam a depender um do outro para sobreviver enquanto tentam escapar das ruínas do castelo. Você tem que cuidar de Trico e conduzi-lo aonde você quer que ele vá, chamando sua atenção com alimentos e outros itens ambientais. Como a capacidade física do menino é limitada, ele precisa de Trico para acessar áreas inacessíveis. Ele também atira raios de sua cauda. O que é muito legal, você tem que admitir. Mas o raio é útil para resolver quebra-cabeças. A desvantagem de The Last Guardian foi o fato de a mecânica de jogo também receber mais atenção, como um efeito da abordagem minimalista adotada em outros lugares. O resultado ideal é que a história se desenrole suavemente, mas neste caso houve problemas com: ângulos de câmera, quedas de FPS e peculiaridades relacionadas ao desempenho. Eram remanescentes da era dos jogos do passado, com parte da estética presa nas eras do Playstation 2 e 3.

Final Fantasy XV começou como Final Fantasy Versus XIII em 2006, um exclusivo tipo spin-off PS3 de título provisoriamente prevista para liberar com o próximo line-up de Final Fantasy XIII jogos Square Enix tinha acontecendo no momento. Mas por 2012, o desenvolvimento deslocou-se para uma nova geração de consoles, e as mudanças foram feitas para o motor e grande parte da história e conteúdo, resultando na Final Fantasy XV Reformulação. Então, o título para Xbox One / PS4 com uma história e tanto foi bom no final? De fato! A história gira em torno de um príncipe chamado Noctis, cuja vida é destruída depois que Niflheim invade suas terras, rouba um poderoso cristal antigo e impede seus esforços para se casar. Expulso de sua vida elegante, Noctis e seus três companheiros precisam viajar pelos quatro cantos de seu mundo e consertar as coisas mais uma vez. É uma jornada para recuperar armas e relíquias antigas, repleta de traições e batalhas épicas contra as forças Daemon e incríveis viagens de carro (e voos de carro) em um mapa expansivo. Os críticos fizeram comentários sobre como a história parecia desconexa às vezes, mas parece que a Square Enix estava ciente disso, dado o filme CGI Kingsglaive e Fraternidade série de desenhos animados que eles fizeram junto com o próprio jogo. O que compensou isso foram as vistas deslumbrantes e impressionantes, a mecânica de combate que não era um pé no saco e uma trilha sonora emocionalmente poderosa de Yoko Shimomura.

Final Fantasy XV tinha um bom jogo em geral, mas a história foi falta de lugares. Considerando que foi vice-versa com The Last Guardian. Ambos provaram que não devemos descartar um jogo no inferno do desenvolvimento, mesmo que demore uma década.

The Witcher 3: Wild Hunt - Blood and Wine

CD Projekt Red lançou uma expansão para Witcher 3: caça selvagem, e tinha o suficiente para oferecer aos jogadores nesta última tentativa para se qualificar como um título autônomo de conteúdo. Apenas no jogo base, os jogadores provavelmente experimentariam pelo menos 100 horas de conteúdo se explorassem um pouco o mapa. A história da busca de Geralt por Ciri o levou por Velen, Novigrad e as ilhas Skellige. Onde ele conheceu um barão furioso à procura de sua esposa e filha, a realeza viking que queria o rito de passagem para herdar o trono, bruxas e sedutoras que competiam por artefatos mágicos - e uma guerra entre nações, com Geralt caminhando ao longo das linhas do divisor mundo. E esse foi apenas o jogo básico. Sangue e Vinho acontece alguns anos depois, na terra de Toussaint. A Duquesa contrata Geralt para investigar os assassinatos de dois cavaleiros, e encontrar o monstro em si é apenas o começo da jornada. A história mergulha profundamente na estranha intriga política dos vampiros, onde nosso herói deve desvendar a ofuscação para garantir que Toussaint não caia no caos. Mas Blood and Wine continuou o precedente estabelecido pelo jogo base, onde uma quantidade épica de atenção aos pequenos detalhes era uma prioridade. Os gráficos impressionantes têm uma chance de se mostrar enquanto você explora o campo, ainda mais se você tomar o tempo para embarcar em qualquer um dos altos níveis de missões paralelas. As escolhas que você faz na história têm um significado mais duradouro no final, e não enganam os resultados.

Witcher 3: Wild Hunt - Blood and Wine selou o lugar da CD Projekt como uma potência do estúdio de desenvolvimento de jogos do início ao fim.

Overwatch

Este ganhou Jogo do Ano no Game Awards 2016 mostrar com Geoff Keighley, e para muitos uma boa razão. Overwatch é a primeira vez na memória recente que a Blizzard Entertainment fez algo que não seguiu os mesmos universos que eles estabeleceram anteriormente. Além disso, foi um jogo de tiro de herói competitivo que estabeleceu o padrão para qualquer um que viesse depois dele. Sendo um tipo de jogo centrado no multiplayer, a Blizzard teve que pensar fora da caixa para entregar os elementos da história. Com a ajuda de curtas de animação e outros meios de comunicação, Uma imagem mais clara do mundo colorido de Overwatch é pintado. 23 personagens para escolher, cada um deles com sua própria personalidade e conjunto de armas / poderes. Mas parte do jogo em si é entender o lugar certo para suas habilidades, já que elas são feitas com o propósito de fazer o melhor para neutralizar personagens específicos do time adversário. A quantidade de fan art Overwatch inspirado este ano foi insano. Overwatch é capaz de manter o interesse das pessoas com seu sistema de loot box cuidadosamente elaborado que dá aos jogadores a chance de desbloquear novos emotes, sprays, introduções de personagens e outras coisas cosméticas legais para enfeitar seus personagens. Quando alguém alcançou 1000 nível no jogo , foi uma ocasião interessante de como as pessoas podem ser dedicadas ao jogar Overwatch. A Blizzard entrou coisas acima de um entalhe quando adicionaram eventos de férias por tempo limitado a regular line-up de jogos que as pessoas poderiam jogar. Não só todos os personagens obter uma matriz de destraváveis ​​festivas, mas os jogadores têm a oportunidade de experimentar ocasiões sazonais em um mapa exclusivo sob medida para ele.

Overwatch comprovada Blizzard Entertainment foi capaz de tentar algo completamente novo, e fazê-lo bem.

Witcher 3 Jogo Director diz que o DLC livre foi lutar contra o sistema

Durante a E3 deste ano, várias entrevistas foram conduzidas enquanto os criadores de mídia e conteúdo percorriam o LA Convention Center em Los Angeles, Califórnia, para o maior evento comercial do ano. Enquanto participava do evento, Based Gamer conseguiu entrar em contato com um dos responsáveis ​​por trazer The Witcher 3 Para a vida. Ler Mais “Witcher 3 Game Director Says The Free DLC Was To Fight The System”

Witcher 3: Blood And Wine Inimigo Exploit Grants dinheiro infinito Sem Glitches

Há uma nova maneira de obter coroas rápidas ou dinheiro rápido no Witcher 3: Blood and Wine. A melhor parte dessa exploração é que ela é legítima e não é uma falha, por isso não deve ser corrigida tão cedo. Requer algumas regras para fazê-lo funcionar, mas concederá mais de ouro 10,000 em sete minutos. CD Projekt Red é o Witcher 3: Blood and Wine já está disponível para PC, Xbox PS4 e One. Ler Mais “Witcher 3: Blood And Wine Enemy Exploit Grants Infinite Money Without Glitches”

Witcher 3: Blood and Wine: Como bater rapidamente o primeiro chefe e obter David E Goylat Trophy

CD Projekt Red lançou o mais recente DLC para o Witcher 3: caça selvagem, comummente conhecida como Sangue e vinho. Neste guia, os jogadores vão aprender a vencer o primeiro chefe de Toussaint rapidamente, o Goylat, e aprender como obter o seu troféu David e Goylat. Sangue e Vinho já está disponível para PC, Xbox PS4 e One. Ler Mais “Witcher 3: Blood And Wine: How To Quickly Beat The First Boss and Get David And Goylat Trophy”

CD Projekt Red Revela Witcher 3: Sangue E Vinho “Final Quest” Trailer

Sangue e Vinho não será o fim do mundo da Witcher per se, mas será a última corrida de Geralt de Rivia. O último DLC que vem sendo divulgado há algum tempo chegará ao PS4, Xbox One e PC na próxima semana em 31 de maio. Juntando-se a essa notícia, o CD Projekt Red também lançou um novo trailer de “Final Quest” mostrando a última aventura de Geralt em Toussaint. Ler Mais Trailer de “CD Projekt Red Reveals Witcher 3: Blood And Wine“ Final Quest ””